Seguindo a linha do que já vêm sendo adotado em outros países como China, Itália, Israel e algumas cidades dos EUA, desde o início de agosto, a França está exigindo a apresentação de um passe sanitário para ter a entrada liberada em cafés, bares, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, museus, atrações turísticas e transportes públicos de longa distância.

Inicialmente, a medida foi uma proposta do presidente francês Emmanuel Macron mas o Parlamentou do país aprovou a obrigatoriedade do passaporte no dia 26 de julho.

As medidas entraram em vigor apesar das manifestações contrárias organizadas em mais de 150 cidades por todo o país.

Como funciona o passe sanitário de turistas na França?

O documento comprova que o seu detentor já foi totalmente vacinado contra a Covid–19; se recuperou da doença nos últimos seis meses ou testou negativo para um teste RT-PCR nas últimas 72 horas. A solicitação do documento é um processo bem simples para cidadãos europeus, mas turistas vindos de outras partes do mundo vinham relatando dificuldades em obtê-lo, conforme reportagem do portal Viagem e Turismo.

Por esse motivo, ainda segundo a VT, o secretário do Turismo, Jean-Baptiste Lemoyne, anunciou no dia 9 de agosto um novo processo que permite converter o certificado de vacinação estrangeiro em um QR Code reconhecido pelo sistema francês.

Como solicitar o passe sanitário de turista?

Para solicitar essa equivalência, é preciso ter recebido a segunda dose da Pfizer, Moderna ou AstraZeneca há 7 dias ou a dose única da Janssen há 4 semanas. Confira a seguir o passo a passo de como obter o passe.

1. Em primeiro lugar, você deverá salvar os seguintes documentos em PDF, PNG ou JPEG: comprovante de vacinação, cópia do passaporte válido, passagem aérea de volta e esse formulário preenchido.

2. O próximo passo é enviar um e-mail para area3.covidpass@diplomatie.gouv.fr com os quatro documentos em anexo. O assunto da mensagem deve segui o padrão PAÍS DE RESIDÊNCIA / SOBRENOME Nome / DATA DE CHEGADA À FRANÇA. Veja o exemplo:

BRASIL / OLIVEIRA Vinicius / 10-12-2021.

3. Assim que o pedido for processado, você receberá um QR Code por e-mail. Não há um prazo determinado para receber a resposta, por isso, envie o pedido o quanto antes.

4. Por fim, estando na França e quando o passe for solicitado, apresente o QR Code impresso ou na própria tela do celular através do aplicativo TousAntiCovid. O app está disponível na App Store e Play Store.

O QR Code é de uso individual. Caso esteja viajando em grupo, é necessário fazer uma solicitação para cada pessoa.

Ainda não recebi o QR Code e preciso me deslocar pela França ou para ter acesso a alguns locais. O que fazer?

Caso você não consiga obter o QR Code a tempo da sua viagem, o governo francês orienta realizar um teste rápido de antígeno ou RT-PCR em um laboratório ou farmácia na França (neste link é possível localizar o estabelecimento credenciado mais próximo). O resultado do exame será automaticamente inserido no sistema de saúde francês e aparecerá no aplicativo TousAntiCovid. Mas atenção: caso o resultado do exame seja positivo, a quarentena é obrigatória.

Na França os exames são pagos pelo solicitante.

Minha inscrição foi rejeitada. Como posso contestar a decisão?

Caso o seu pedido tenha sido rejeitado porque o tempo requerido após a vacinação não foi suficiente no momento da solicitação, você poderá fazer um novo pedido assim que essa condição for cumprida. Segundo o Ministério de Relações Exteriores da França, em alguns casos, o prazo pode ser estendido devido à necessidade de verificações adicionais da documentação fornecida.

Imigração

O governo da França anunciou no dia 17 de julho que os turistas que já foram vacinados com as vacinas da Pfizer, AstraZeneca, Janssen e Moderna não estão mais sujeitos a restrições para entrar no território francês, seja qual for o seu país de origem. Basta preencher uma declaração e apresentar o comprovante de vacinação físico ou digital durante o check-in no aeroporto.

No Brasil, os cidadãos podem obter o Certificado de Vacinação contra a Covid–19 gratuitamente através da plataforma Conecte SUS. O certificado pode ser emitido em português, inglês e espanhol nos casos de quem já tomou a segunda dose da vacina ou a vacina de dose única. Neste artigo, apresentamos o passo a passo de como obter o documento.

CoronaVac

Por enquanto, a vacina CoronaVac ainda não será aceita para entrada no país porque ainda está em fase final de análise da Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

As medidas aplicadas aos adultos vacinados serão estendidas aos menores de idade que estejam viajando com eles. Porém, os adolescentes com 12 anos ou mais deverão apresentar resultado negativo para um exame RT-PCR.

“Os demais passageiros vindos do Brasil que ainda não estão vacinados contra a Covid–19 podem entrar na França somente se tiverem um motivo válido, como reunião familiar ou permissão de residência no país Europeu. Ainda assim, eles devem apresentar resultado negativo para um exame RT-PCR feito menos de 48h antes de voo, realizar um novo teste na chegada e cumprir quarentena de dez dias” (viagem e turismo)

Cidade de São Paulo também vai exigir um ‘passaporte de vacinação’

No Brasil, a cidade de São Paulo anunciou que também vai exigir a apresentação de um comprovante de vacinação contra a Covid–19 para a entrada em espaços coletivos como eventos, porém será opcional para bares, restaurantes e shoppings. O documento será emitido por um aplicativo que deve ser lançado ainda essa semana e na prática, toda a população terá de se cadastrar e emitir um QR Code, assim como na França.

Segundo o prefeito Ricardo Nunes, os lugares que permitirem a entrada de pessoas que não estiverem vacinadas serão multados.

A quarentena contra o coronavírus foi encerrada no estado de São Paulo pelo governador João Doria faz uma semana. Com isso, estabelecimentos comerciais já funcionam sem restrições de horário ou capacidade de público, porém o uso de máscara continua sendo obrigatório.


As informações atualizadas se encontram nessa página do Ministério das Relações Exteriores da França.

Com informações de Viagem e Turismo, Portal G1 e Guia Melhores Destinos.