Em tempos de crise econômica e orçamento mais apertado, viajar ficou definitivamente mais difícil. E mesmo que a pandemia de Covid-19 tenha causado um desaquecimento no setor de viagens, só o preço das passagens áreas, por exemplo, subiram cerca de 23,74% no último mês, de acordo com os dados da FGV.

A boa notícia é que existem sim diversos serviços que podem ajudar a reduzir os custos da sua viagem: são as plataformas de compartilhamento, que reúnem desde proprietários de veículos dispostos a dividir os custos do deslocamento; donos de casas e apartamentos que aceitam dividir seu espaço, até interessados em alugar malas de viagem e outros objetos.

Essas plataformas baseiam-se no conceito de economia compartilhada, onde as pessoas podem usufruir de bens e serviços sem precisar adquirí-los de fato. Assim, um único bem oferece valor a mais pessoas e por mais tempo.

No setor de viagens, algumas dessas plataformas já são de fato bem comuns aos viajantes, a exemplo do Airbnb, de hospedagem, e a BlaBlaCar, que oferece caronas confiáveis. Contudo, existem ainda outras alternativas menos conhecidas como a Wordpackers, onde o usuário realiza trabalhos voluntários em troca de hospedagem ao redor do mundo e a brasileira GetMalas, que permite ao viajante alugar malas de viagem.

Bem, esteja o seu destino perto ou mais distante, e sua conta bancária não nada lá essas coisas, esses serviços são perfeitos para você viajar com mais economia.

Leia mais: Como um bom planejamento financeiro pode te ajudar a viajar mais.
Ingressos onlines: garanta passeios e atrações, economize e evite filas.

1. Get Malas (bagagem)

Entre as várias preocupações que temos antes de viajar, adquirir malas que sejam adequadas ou simplesmente suficientes para carregar todos os nossos pertences, de fato pode consumir uma boa fatia do orçamento disponível – dependendo do tamanho e quantidade de malas necessárias.

Uma alternativa para quem não quer -– ou não pode -– desembolsar essa grana é optar por alugar as malas de viagem. Aqui no Brasil, duas empresas já oferecem a comodidade, uma delas é a GetMalas.

Funciona assim: você escolhe o modelo, a cor, faz a reserva e pode retirar a mala com algum parceiro ou receber via delivery. Depois da viagem, a empresa busca a mala no seu endereço ou você devolve no mesmo local que retirou.

É possível reservar quantas malas precisar e você só paga pelos dias em que ficar com ela. De acordo com a GetMalas, a economia com o serviço pode chegar até 90%.

2. BlaBlaCar (transporte)

Presente no Brasil desde o final de 2015, a startup de caronas intermunicipais BlaBlaCar reúne proprietários de veículos dispostos a dividir os custos do deslocamento e viajantes que buscam uma opção mais econômica de transporte.

Para utilizar a plataforma, o usuário deve informar no aplicativo os dados da viagem, como destino, horário e quando vai. Depois é só escolher a carona que melhor lhe atende.

OK: o planejamento nesse tipo de viagem é sempre complexo, e é preciso fazer com que a agenda do viajante e a de diversas outras pessoas coincidam. Mas de qualquer forma. a economia continua sendo a grande bandeira desse serviço: de acordo com o app, a média de gasto por passageiro é de R$ 40.

Aqui no Brasil, de acordo com a BlaBlaCar, existem 7 milhões de pessoas oferecendo e pegando carona através do serviço. O pagamento da participação nos custos da viagem é feito diretamente pelo viajante ao proprietário do carro na data da carona.

3. Alooga (câmera e objetos)

A plataforma Alooga conecta quem tem objetos ociosos em casa, como por exemplo, câmeras fotográficas (muito úteis em viagens) com quem deseja alugá-los. Para encontrá-los. basta procurar no sistema de buscas do site e fazer a reserva. Depois disso, cliente e dono ficam em contato para definir como será feita a entrega. 

Ao realizar o pedido, quem aluga faz o pagamento online, com cartão de crédito. A locação somente é concluída após a confirmação do proprietário do bem de que o pagamento foi quitado. Qualquer dano ao produto deve ser discutido entre locador e proprietário. 

4. Airbnb (hospedagem)

O Airbnb é hoje o maior site de compartilhamento de hospedagem do mundo, oferecendo acomodações para todos os tipos de viagem. Seja uma casa inteira na praia para curtir com a família ou quartos dentro de residências para turistas.

Além de ter tarifas mais baratas que nos hotéis (em média), quem aluga um imóvel pela plataforma pode usufruir de espaços como a cozinha para preparar suas próprias refeições. Economizando uma boa grana.

O serviço está disponível em mais de 191 países e oferece diárias a partir de de R$ 30, mas também mansões com preços que chegam a mais de R$ 5.000 por dia.

5. EatWith (comida)

O EatWith nasceu em 2012 e cadastra cozinheiros profissionais e amadores para receber em suas casas pessoas que desejam degustar um menu com preço fechado. Basta entrar na plataforma, escolher a cidade, o preço e o menu de preferência. 

6. Worldpackers (hospedagem)

A Worldpackers é uma plataforma brasileira que permite você viajar trocando suas habilidades e seu tempo – durante algumas horas do seu dia – por acomodação e comida em várias países do mundo.

Funciona assim: primeiro você se cadastra gratuitamente e tem acesso a visualizar todas as oportunidades disponíveis ao redor do mundo, depois você se torna um membro verificado e pode se candidatar a diversas experiências no lugar que preferir, aí você conversa com o anfitrião pra tirar suas dúvidas e ser aceito.

As vagas mais comuns são para trabalhos em recepção, jardinagem/manutenção e serviços de limpeza de quartos e áreas comuns. Contudo, existem uma centena de outras oportunidades que podem ser encontradas com o uso de filtros dentro da plataforma.